Como se adaptar à mudança no mercado de trabalho?

pessoa se adaptando à mudança no mercado de trabalho

A mudança no mercado de trabalho sempre ocorreu, progressivamente, tendo alguns momentos mais marcantes. Conforme a sociedade, os modos de relação e de vida também se transformam.

Já é possível constatar que muitas profissões que existem hoje não existiam ou mudaram, consideravelmente, em comparação com décadas passadas. Igualmente, em um futuro não tão distante, profissões atuais deixarão de existir ou se transformarão e outras novas virão.

A grande diferença é que a mudança no mercado de trabalho tem se tornado cada vez mais rápida e ocorrido de maneira visível, diante dos avanços tecnológicos. A pandemia do Coronavírus ainda acelerou o processo de transformação, resumindo em meses o que levaria anos.

Os profissionais atentos já estão preocupados em encontrar maneiras de acompanhar a acelerada mudança no mercado de trabalho, pois entendem que essa adaptação é necessária para se manterem ativos. A seguir, vamos trazer algumas considerações importantes sobre o assunto. Confira!

As principais razões da mudança no mercado de trabalho

A chamada “quarta revolução industrial” já está aí e é um dos fatores que recebe maior ênfase, quando o assunto é a mudança no mercado de trabalho. A automação, transformações do contexto socioeconômico e cultural geram novos modos de relação, impactando nas interações do mercado.

Para além das tecnologias, que protagonizam a inconstância do contexto atual, outros aspectos ganham importância para pensar sobre a mudança no mercado de trabalho. Um deles diz respeito às relações profissionais, que vêm se tornando mais flexíveis em vários sentidos, desde os modos contratuais até a crescente adesão ao trabalho a distância.

Outro elemento relevante diz respeito ao aumento da expectativa de vida, que tanto projeta pessoas em idade avançada permanecendo ativas no mercado de trabalho, quanto a demanda por novos produtos e serviços voltados para essa população.

Igualmente, a atenção recente às diferenças relativas ao gênero, etnia, identidade cultural, pessoas com necessidades especiais e afins também exerce um impacto irreversível no mercado. Mais do que conviver ou incluir, empresas e profissionais precisarão cada vez mais se adaptar e transformar os modos de relação, interação e atender às demandas relacionadas a essas questões.

Considerando os múltiplos fatores que caracterizam e orientam a mudança no mercado de trabalho, cada um deles precisa ser observado pelos profissionais. Embora não seja possível abranger tudo, se atualizar será necessário para atender a esse mercado.

A seguir, vamos oferecer algumas dicas sobre habilidades importantes para se adaptar, se preparar e se destacar nesse contexto, no qual a transformação já está acontecendo. Prossiga!

Habilidades e competências para se adaptar à mudança no mercado de trabalho

Tenha um plano de formação inteligente

Já indicamos a multiplicidade que motiva a mudança no mercado de trabalho. Embora muitos se atentem apenas à necessidade de se aprofundar nas novas tecnologias, existem outras questões que merecem atenção.

É justamente no que diz respeito a elas, que formações mais robustas farão a diferença. É o caso dos cursos voltados para os públicos com necessidades especiais, inclusão e diversidade, pessoas idosas e afins.

Profissionais que lidam com pessoas que desejam se manter e se destacar no mercado, devem considerar se especializar para oferecer melhor atendimento, tratamento e soluções para esses públicos.

Nesse contexto, a pós-graduação é o mais indicado, pois não são temas fáceis que poderão ser dominados com cursos rápidos.

Aprender a aprender

Embora a formação continue a ser importante, uma das adaptações básicas para a mudança no mercado de trabalho é recuperar em si a capacidade de aprender o tempo todo, com todas as experiências e, também, mais rápido. Essa é uma exigência característica da própria consciência de que a transformação se tornou uma constante e, dificilmente, será diferente.

Comunicação diferenciada

A capacidade de se comunicar bem já é muito relevante e será crucial diante da mudança no mercado de trabalho. Isso diz respeito tanto a conseguir transmitir com clareza, objetividade e ética uma diversidade de mensagens, alcançando diferentes públicos, quanto dominar línguas estrangeiras, a escrita e a fala, além de ferramentas de comunicação.

Inteligência emocional

A inteligência emocional será cada vez mais o principal ativo dos profissionais, diante da mudança no mercado de trabalho. O domínio e manejo assertivo das emoções indica maior capacidade de flexibilidade, adaptação, facilidade ao relacionar-se com as pessoas, de tomar boas decisões, lidar com problemas, dentre outras questões relevantes para esse contexto.

Habilidade com as tecnologias

Caminhamos para um futuro próximo, no qual não haverá nenhuma profissão que não demande a mediação de tecnologias para a sua realização. Assim, não haverá espaço para profissionais que desprezem a tecnologia.

A grande questão, no que diz respeito às tecnologias, é que elas sempre estão mudando. Portanto, quem deseja se destacar no mercado precisará desenvolver habilidades para lidar com elas, valendo a pena, inclusive, fazer cursos relacionados às ferramentas que auxiliam no exercício e inovação da profissão.

Competência com dados

É uma realidade que dados e informações se tornaram moedas de troca valiosas na contemporaneidade. Embora as máquinas possam produzi-los, só o ser humano tem competência em analisar com profundidade e tomar decisões assertivas e criativas, a partir deles. Desta maneira, os profissionais precisam aprender a dominar essa linguagem e suas metodologias.

Inteligência para a diversidade

A mudança no mercado de trabalho tem se desenvolvido, de modo que pessoas diversas precisam atuar em conjunto para atender, também, a um público diverso. Indivíduos de diferentes países, culturas, religiões, sexualidade, etnias e afins compõem equipes e objetivos em comum, como nunca antes.

Conforme já mencionado, os profissionais deverão se preparar para imergir nesse novo contexto, se pretenderem se manter no mercado. Características como empatia, versatilidade e flexibilidade serão indispensáveis.

Como é possível perceber, se adaptar à mudança no mercado de trabalho exige o investimento, principalmente, em dois aspectos: o domínio das tecnologias e o aperfeiçoamento das habilidades humanas.

Embora conhecimentos específicos devam ser considerados, existem alguns saberes estratégicos para abranger mais camadas dessas necessidades. A Neuropsicopedagogia Institucional e Clínica é uma área interessante nesse sentido, pois prepara melhor qualquer profissional para compreender e lidar melhor com o ser humano em sua diversidade. Saiba mais sobre o assunto lendo o nosso artigo: Neuropsicopedagogia Institucional e Clínica!

Inscreva-se em nosso blog

Informe o seu primeiro nome e o seu melhor e-mail para cadastrar-se em nossa newsletter.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

X