Educação digital: a tecnologia como facilitadora da aprendizagem escolar

educacao-e-tecnologia

O que fazer para que os alunos participem de maneira mais efetiva durante as aulas? Como transformar espectadores em participantes ativos e interessados? Como a tecnologia pode facilitar a aprendizagem escolar?

São várias as possibilidades, então, começaremos com uma dica simples: buscar sempre mudar e inovar as formas de relacionamento e comunicação.

É essencial se atualizar e conhecer novas perspectivas. A tecnologia é uma alternativa e pode ser uma grande aliada nesse processo, pois proporciona novas formas de aprendizagem, com ideias e recursos inovadores.

Essa interação promove benefícios tanto aos professores quanto aos alunos, facilitando o processo educativo e conduzindo melhorias no desempenho dos estudantes.

Neste artigo vamos falar sobre o uso das tecnologias no ambiente escolar e formas de deixar as aulas mais interativas e produtivas através de práticas fáceis e acessíveis. 

O que é Educação digital?

Educação digital é a prática de utilizar meios tecnológicos em métodos de ensino, frequentemente aliada à adoção de processos mais dinâmicos de aprendizagem.

É importante destacar desde já que não existe um modelo de educação digital ou um conjunto de pilares e características que nos permita uma definição mais detalhada, afinal, o universo da tecnologia é muito complexo e muda demais.
As novidades surgem com tanta frequência e as possibilidades são tão diversas que é impossível estabelecer uma base para gerar uma abordagem comum que sirva como referência.

Cabe aos educadores e instituições de ensino encontrarem a fórmula que acreditam ser mais adequada para promover ensino de qualidade, aproveitando todos os benefícios das soluções tecnológicas.

Atualmente o mundo está conectado, e a informação percorre de forma absurdamente rápida pela internet, e olha que ela é apenas uma das ferramentas digitais que nós temos à nossa disposição.

As video aulas, por exemplo, são gravadas em um local físico, porém são transmitidas e acessadas por qualquer pessoa em qualquer lugar do mundo.
E por muito tempo a realidade não era essa, algo era descoberto por alguém e somente após meses ou até anos a informação era compartilhada, por cartas que viajavam de navio (Que curiosamente já caracterizava o ensino à distância, quando as pessoas estudavam por correspondência).

Então o ensino à distância é mais antigo que a educação digital.

O digital no ambiente escolar

É importante aproveitar as tecnologias e integrá-las à educação. Principalmente no contexto pelo qual passamos, onde mais de 539 milhões de estudantes, da pré-escola até a educação secundária. Tiveram seu processo de ensino interrompido em razão de uma pandemia.

O que nos leva a um questionamento: a educação está preparada para o mundo digital?

Porque ficou ainda mais evidente, um problema que já era de conhecimento de todos: a desigualdade. Onde estudar remotamente é impossível para boa parte da população.

Por conta de vários desafios como: falta de acesso à Internet e de equipamentos, infraestrutura precária e a falta de preparo dos docentes.

Até porque, não basta pegar a educação tradicional e colocar no mundo digital.
Aqui se trata de realmente transformar a educação com uso das plataformas e dos mais diversos recursos em favor do ensino-aprendizado. Propor aulas mais interativas e usar essa ferramenta e plataformas para aproximar o aluno do conteúdo.

Por que, além das barreiras físicas e sociais, os desafios que enfrentamos por estarmos no mundo digital, é a disputa por atenção o tempo todo. E o ensino tradicional, quando incorpora tecnologia, pode ser uma oportunidade de inclusão para abranger os mais diversos tipos de aprendizagem, como por exemplo: visual, auditiva e sinestésica.

A educação está tão conectada ao digital que uma das 10 competências da  Base Nacional Comum Curricular (BNCC) compreende a cultura digital.

A partir dela o educador, possui uma atribuição importante e uma ponte para auxiliar o aluno a compreender, utilizar e criar tecnologias digitais de informação e comunicação de forma crítica, significativa, reflexiva e ética nas diversas práticas sociais para se comunicar, acessar e disseminar informações, produzir conhecimentos e resolver problemas.

Pois, como as informações são voláteis e acesso à informação com o digital só tornou muito fácil a educação tem um papel muito importante, tornar o aluno protagonista no seu processo de busca, com um importante filtro para aquilo que é realmente significativo e verdadeiro.

O uso das tecnologias na educação

É imensurável o conhecimento que adquirimos na internet e aplicamos no nosso dia a dia, desde tutoriais simples até pesquisas mais elaboradas. Ela está cada vez mais presente em nosso cotidiano, sendo assim, não há razão para que ela não tenha seu lugar no ambiente educacional.

Vídeos, blogs, artigos, ebooks, como o que você está lendo agora, são recursos com conteúdo riquíssimo que contribuem para a aprendizagem e interação dos alunos. Alguns professores possuem receio ou não sabem como lidar com as novas tecnologias em sala de aula.

É certo que mesmo com todas as possibilidades que a internet nos oferece, nem todas as crianças e jovens fazem um uso criativo desse sistema e alguns acabam procrastinando.

Então, qual a melhor opção? Proibir ou estimular? É aconselhável que a internet esteja presente nas escolas, mas é necessário estimular a construção do pensamento crítico e construtivo. 

Os alunos precisam saber distinguir informações confiáveis diante de tantas informações de cunho duvidoso que circulam na rede.
É necessário induzir a compreensão de que tudo no ciberespaço é registrado, que cada clique é uma informação que faz com que empresas saibam cada vez mais sobre nós: tendo isso em mente, os alunos aprenderão a se resguardarem  para que não se tornem alvos de bullying, assédio ou qualquer tipo de armadilha virtual.
Então o maior desafio dos professores é fazer com que alunos deixem de ser apenas usuários e se tornem criadores de conteúdo. 

A tecnologia é uma linguagem que deve ser aprendida e ensinada, visto que, a prática de novas atividades em sala de aula pode desenvolver habilidades e colaborar para a descoberta de novos talentos.

As tecnologias podem ser grandes aliadas no processo de interação dos alunos com as atividades aplicadas em sala de aula. Veja e entenda através dos exemplos, como ela pode ser aplicada e qual a sua finalidade em cada nível da educação.

Quais os benefícios da tecnologia na educação?

Assim como a tecnologia trouxe benefícios para diversas esferas, os recursos disponíveis também têm impactos positivos na educação, como:

  • aulas mais interativas e dinâmicas; 
  • incentivo à criatividade; 
  • aproveitamento extraclasse; 
  • aumento de produtividade por parte dos alunos. 

As novas tecnologias auxiliam no desenvolvimento de diferentes competências e habilidades, como a cooperação, e preparam os alunos para o mercado de trabalho, que já faz novas exigências em função das mudanças proporcionadas pelo avanço tecnológico.

Tecnologia na educação infantil

É na educação Infantil que tudo se inicia e se amplia o processo de socialização e desenvolvimento de uma criança, por meio do convívio, brincadeiras e atividades pedagógicas.

A finalidade da tecnologia nessa etapa, deve ser auxiliar aos processos pedagógicos e de socialização de forma construtiva, trazendo aprendizado através da interação e diversão.

Os professores podem recorrer aos vídeos lúdicos, livros digitais, realidade aumentada e dinâmicas. Afinal, todos esses recursos são indicados para um ensino mais eficiente e satisfatório nessa fase de escolarização.

Tecnologia no ensino fundamental

O docente deve estar preparado para se adaptar, pois, nessa etapa acontecem várias mudanças relacionadas ao progresso do ensino aprendizagem, onde o lúdico terá um papel fundamental.

Novas técnicas deverão ser aplicadas para auxiliar e estimular a capacidade de argumentação, interação, ampliação do pensamento criativo e do raciocínio lógico para o desenvolvimento de cada criança e adolescente, a fim de ampliar sua autonomia e seu protagonismo.

Deste modo, umas das tecnologias que mais se encaixam nessa fase de escolarização são as plataformas literárias e adaptativa.

Tecnologia no ensino médio

No ensino médio surgem várias novidades e responsabilidades para os jovens que estão prestes a ingressar em uma Faculdade. Por essa razão, o papel do professor se torna cada vez mais importante, pois além de colaborar para a construção de conhecimento, ele atua como orientador e até mesmo como inspiração.

Nesse estágio, o educador pode recorrer a aplicativos, como: simuladores de provas (como as do Enem, utilizando questões dos anos precedentes), videoaulas, arquivos e blogs.

Se adaptar e inovar se tornou uma necessidade para os profissionais da educação. Acompanhe as notícias sobre o assunto, troque e compartilhe experiências com colegas de trabalho e mantenha- se informado sobre as novidades do universo educacional.

Assim, não lhe faltará ideias e criatividade para elaborar aulas inovadoras e acima de tudo interativas. Além disso, cursos, como: pedagogia, neuroaprendizagem, ludopedagogia, educação Infantil, musicoterapia, psicopedagogia, também podem agregar bastante nesse processo.

Gostou desse conteúdo? Continue acompanhando o nosso blog para ler mais artigos sobre educação e mercado de trabalho. Preencha o formulário abaixo e se inscreva em nossa Newsletter.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

X