Profissional do futuro: o que isso quer dizer?

profissional do futuro trabalhando

Talvez você já tenha ouvido falar no termo profissional do futuro e imaginado algo fictício. No entanto, trata-se de uma realidade, tanto projetada quanto manifesta em características que já são possíveis e demandas dos profissionais no presente.

A expressão profissional do futuro é frequentemente utilizada para dizer de um perfil necessário às transformações sociais e, consequentemente, do mercado. Ele é, muitas vezes, associado a áreas específicas e funções que poderão existir nos próximos anos.

Contudo, isso não quer dizer que ele já não exista ou que esteja vinculado especificamente a áreas tecnológicas. Certamente, o conhecimento sobre as novas tecnologias é uma das características desse profissional “ideal”, mas não a única.

A seguir vamos esclarecer mais sobre o que é o profissional do futuro e porque você deve se atentar a esse perfil para buscar desenvolvê-lo! Prossiga!

O que é o profissional do futuro?

Desde o último século, o mundo tem passado por mudanças contínuas e cada vez mais marcantes e irreversíveis. As novas tecnologias protagonizam os discursos sobre essas transformações. No entanto, é preciso ter um olhar mais amplo sobre isso.

Junto às mudanças tecnológicas ocorre, também, transformações significativas no modo como as pessoas se relacionam, pensam, se comportam, consomem, nos seus sonhos, objetivos e modos de vida.

Dessa maneira, é relevante para qualquer setor atentar-se tanto aos avanços tecnológicos, técnicos e metodológicos quanto às movimentações sociais, subjetivas, enfim, humanas. Para começar, o profissional do futuro é aquele que apreende todo esse contexto e sabe se adaptar a ele.

Atento ao que os dispositivos tecnológicos podem fazer, esse profissional busca desenvolver e aperfeiçoar as habilidades humanas insubstituíveis, além do domínio sobre as máquinas. Portanto, trata-se de um perfil que articula o aprendizado sobre as tecnologias necessárias à sua atuação e o trabalho sobre suas competências humanas.

Mas, o que são essas habilidades humanas? Enquanto o aprendizado tecnológico é mais objetivo e de fácil identificação, as competências humanas são mais complexas e não necessariamente são aprendidas da mesma maneira. Elas começam a se desenvolver desde a infância, a partir da convivência familiar e social. Como todos sabem, esse início não é perfeito e depende de outras pessoas.

No entanto, isso não quer dizer que precisamos ficar presos aos hábitos e comportamentos que herdamos involuntariamente do nosso meio. Novos comportamentos e modos de interação podem ser aprendidos e reparados a partir de diferentes recursos, que variam desde o estudo até a terapia ou análise.

Com isso em mente, respondendo à pergunta, tais habilidades humanas são diversas, como: criatividade, pensamento crítico, capacidade de análise, empatia, persuasão, resiliência, reflexão, dentre outras.

Portanto, o profissional do futuro é o humano que domina tanto a relação com as máquinas quanto com outros seres humanos, suas instituições, contextos, e afins.

A diferença entre o profissional do futuro e o profissional tradicional

Contextualizamos sucintamente o profissional do futuro, porém, uma maneira de visualizar melhor o diferencial desse profissional é a partir da comparação com o profissional tradicional, aquele perfil ao qual nos habituamos por séculos.

O profissional tradicional é aquela pessoa que, para funcionar, precisa de orientações explícitas e vindas de um nível hierárquico superior. A partir dessas diretivas, ele realiza aquilo que lhe foi atribuído, com concentração privilegiada nos processos.

Em contrapartida, o profissional do futuro apresenta maior proatividade, sendo capaz de tomar iniciativas, de se envolver e interagir com toda a equipe, buscando a valorização do capital humano e a inovação. Por se tratar de um desafio atuar dessa maneira, ele está constantemente buscando aperfeiçoar e desenvolver novas competências.

Observe, todavia, que o profissional do futuro só conseguirá explorar todo o seu potencial em um ambiente de trabalho, também, do futuro. Isto é, um local de trabalho que tenha valores semelhantes e contribua para maior autonomia, trabalho em equipe e iniciativa de seus colaboradores.

No momento de transformação no qual nos encontramos, nem sempre as empresas e instituições estão alinhadas com essa cultura. Contudo, uma das habilidades do perfil de profissional do futuro é a adaptação ao contexto. Dessa maneira, ele encontrará o melhor caminho para contribuir com a evolução do local onde atua, sem desrespeitar as limitações presentes.

Por que o mercado está em busca do profissional do futuro?

Partindo da comparação anterior, um dos principais benefícios que um profissional tradicional traz ao local de trabalho é a obediência e previsibilidade. Entretanto, isso não favorece a produtividade, nem o engajamento com a atividade. Muitas empresas têm enxergado isso, inclusive devido aos prejuízos que as acometem.

A baixa produtividade tem uma consequência direta nos resultados das organizações, tornando seus processos mais caros e morosos e, consequentemente, os produtos mais caros e menos competitivos. Dessa maneira, a tendência dos empreendimentos diversos, públicos ou privados, é mudar sua cultura.

Com a mudança de cultura, modifica-se também o perfil do profissional que buscam, isto é, passam a procurar o profissional do futuro. A razão é que este profissional será mais engajado e produtivo, por ter competências para se adaptar às necessidades da profissão, lidar com transformações e adversidades, e compreender a automotivação para a sua atuação.

Um dos grandes diferenciais desse profissional é a capacidade de aprender a aprender, algo fundamental para ser bem-sucedido em um cenário de transformações recorrentes e surpresas.

O desafio de ser um profissional do futuro

Alcançar o perfil do profissional do futuro em um momento que ainda não está completamente imerso nessa lógica, além de permanecer em condições turbulentas, é desafiador.

Para lidar com esse desafio, o primeiro passo é desenvolver a mencionada capacidade de aprender a aprender, além da disposição constante em adquirir novas habilidades, novos conhecimentos e se interessar por tudo!

Atualizar-se sempre e investir no autoconhecimento são condições para almejar o perfil do profissional do futuro, o que demanda tanto o cultivo de hábitos cotidianos, a auto-observação e o empreendimento nos estudos a partir de treinamentos, capacitações, pós-graduação e afins.

Trata-se, portanto, de uma trajetória que precisa ser construída cotidianamente, com persistência e dedicação. Nesse percurso, é preciso ter em mente que desenvolver esse novo perfil não significa desvalorizar toda a base profissional constituída até então, mas, ao contrário, aperfeiçoá-la e otimizá-la a partir de conhecimentos mais atuais.

Para o profissional do futuro, todo saber é importante, pois é a partir da bagagem que carrega que estará preparado para lidar assertivamente com uma diversidade de situações. Agora que você sabe o que é o profissional do futuro, conte para a gente: como você se sente diante do desafio de desenvolver esse perfil? Deixe um comentário!

Inscreva-se em nosso blog

Informe o seu primeiro nome e o seu melhor e-mail para cadastrar-se em nossa newsletter.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

X